15 de set de 2015

Poema: "Mar"


“Mar”


Mar que alimenta mitos,
E tantas crenças folclóricas;
Das mandingas, dos ritos,
Das epopeias históricas!


Suas ondas quebrando,
Na escaldante areia;
Melodia encantando,
Como o canto da sereia!


A mãe dos pescadores,
Perfuma o seu coração,
Iemanjá pede flores...
Em troca de proteção!


O homem sedutor;
Das festas enluaradas;
É o boto predador,
Devorando as imaculadas!


Na imensidão de água e sal,
Está submerso um império;
Atlântida é a capital,
Encontrá-la é mistério!


Em tua profundidade,
Netuno é soberano,
Nobre divindade;
Deus-rei do oceano!


* O Eldoradense


Nenhum comentário:

Postar um comentário