26 de mai de 2017

A Ética deveria ser nossa "Nova Mania"...



"Etiqueta e ética"


    Há alguns dias deveria ter escrito este texto, mas sinceramente, fui acometido por uma certa preguiça, contudo, por uma questão de honra e merecimento por parte da protagonista da história, resolvi fazê-lo hoje. Fala sobre ética, honestidade, cuja falta de tais valores estão em evidência no cotidiano brasileiro. Há quem diga que honestidade não seja adjetivo, é obrigação. Concordo, em partes: se estivéssemos na Noruega, Japão ou Suécia, talvez fosse assim, mas não. Estamos no Brasil, onde muitos querem levar vantagem em tudo, desde os pequenos gestos até às mais escusas falcatruas envolvendo dinheiro público. Mas vamos ao que interessa:

  Vinte e dois de maio, última segunda-feira. Fui até à casa do meu irmão à tarde, e como ele não estava lá, disse à minha cunhada que iria novamente, à noite. Voltei, como o prometido. Passamos uma noite agradável, onde brinquei muito com a minha sobrinha. Ela pintava minhas unhas do pé com tinta verde e pedia para que eu me transformasse no "Incrível Hulk". Posteriormente eu simulava a "metamorfose"  e corria atrás dela, que gritava, fingindo susto. Passamos um bom tempo neste ritual, que era marcado pelo corriqueiro pedido infantil: "Faz de novo...."

   Quando voltei para a casa, minha esposa ligou o celular, e no Facebook, viu uma postagem do meu irmão, falando do aniversário da minha sobrinha. Caramba, santa distração! Passei duas horas lá e nem me lembrei da data. Telefonei naquele dia mesmo, justificando o esquecimento e dizendo que compraria o presente da "Clarinha" no dia seguinte, e assim o fiz.

  A nova saga de compra de presentes para meninas envolveu repetição no repertório: além de muito distraído eu não sou criativo, e comprei novamente um carrinho cor-de-rosa. A melhor parte da experiência vem depois...

   Ao me dirigir ao caixa, a moça perguntou qual foi o valor do brinquedo, já que a etiqueta do preço estava rasgada. Eu disse, em nova demonstração de total distração, que o valor era "X". Ela embrulhou para presente e passou o cartão de crédito para efetuar a venda. Agradeci, e quando eu estava com a moto já em funcionamento, ela veio até minha direção, ofegante. Disse que desconfiou do valor que eu havia dito, e ao fazer a conferência do preço na gôndola dos brinquedos, constatou que o carrinho custava "X - 20". Voltou ao caixa e me devolveu vinte reais. Pode até soar como um gesto simples, que caracterize "obrigação", mas como eu disse, nos dias atuais, é qualidade, adjetivo nobre. Agradeci a moça e resolvi homenagear seu gesto. Por timidez, infelizmente não perguntei seu nome, e talvez ela nem saiba que foi motivo desta postagem, justificada não pelos vinte reais devolvidos, mas sim, pela atitude. 

   A falta da ETIQUETA adesiva no preço do carrinho teve como consequência uma singela demonstração de ÉTICA, que deveria se fazer "presente" em nossa rotina. Como não sei o nome da moça, fica como gesto de agradecimento a divulgação da loja na postagem, que é a "Nova Mania", situada em Presidente Venceslau, na Avenida Tiradentes, 726. E para finalizar, fica a sugestão: E se a honestidade se tornasse, de fato, a "Nova Mania" da nossa sociedade? Fica a dica...

* O Eldoradense


24 de mai de 2017

Reinaldo Azevedo: De ídolo de muitos ao pedido de demissão na Veja...




  Amigos leitores, a caricatura acima é do jornalista Reinaldo Azevedo, famoso pelos escritos nas colunas da Revista Veja e Folha de São Paulo. É muito provável que você o conheça, pois durante os governos petistas, Reinaldo ganhou notoriedade através das suas críticas contundentes à corrupção e à incompetência de Dilma e Lula. Até aí tudo bem, porque criticar Dilma e Lula mediante as lambanças ocorridas nos governos de ambos é tarefa fácil e justa, ainda que o referido jornalista parecia ser movido por uma paixão tucana em que só os candidatos do PSDB serviam à nossa tão sofrida República Brasileira. Mas vá lá, cada um pode ter suas paixões, convicções, ideologias, mesmo que se espere um mínimo de imparcialidade e profissionalismo de um jornalista.

    E mesmo que justas e merecidas fossem as críticas feitas por Reinaldo ao fenômeno conhecido por "Lulopetismo",  eu via no jornalista um sujeito excessivamente parcial, e que em muitos momentos, deixava transparecer uma imagem arrogante, como quem tudo soubesse, menosprezando opiniões contrárias às suas, usando inclusive termos ofensivos aos que dele discordassem. "Idiota", "acéfalo" e  "chucro"  eram só alguns dos exemplos de vocábulos usados por Reinaldo quando a argumentação não parecia ser tão convincente. Mas ok, cada um tem o seu "estilo", mesmo que questionável. E o jornalista aproveitou bastante os desdobramentos da Operação Lava Jato enquanto a mesma encurralava os políticos do PT. Tornou-se ainda mais ídolo, mais venerado, mesmo que muitos sequer não questionassem sua postura um tanto quanto "apaixonada", digamos assim.

   Mas aí a mais famosa Operação anti-corrupção da história Republicana do país começou a ganhar outros contornos: começaram a pipocar nomes tucanos nas delações dos esquemas ilícitos. Geraldo Alckmin, Aloysio Nunes e Aécio Neves não passaram batidos nas investigações. Reinaldo pouco ou nada falou a respeito.

    E aí, surpreendentemente, Michel Temer caiu numa "casinha de caboclo" armada pelo empresário Joesley Batista, como todo mundo mais ou menos informado já sabe. Aécio Neves foi pego em um áudio mais do que comprometedor, e sua imagem manchada tornou-se podre, sendo que até sua irmã, Andrea Neves foi presa. E o que fez o famoso jornalista? Escreveu artigos dizendo que Temer foi vítima de conspiração, e que a suspensão do mandato do Senador Aécio Neves era um "absurdo"! Foi aí que eu constatei: Reinaldo Azevedo é um cara articulado, de qualidade notória nos seus textos, mas infelizmente, destituído de bom senso. Argumentando em favor de Aécio e Temer, viajou pela área do direito, (que não domina); contestando decisões dos Procuradores Gerais da República e Ministros do STF. Patético!

    E para concluir toda esta história, a Procuradoria Geral da República divulgou áudios de conversas entre Reinaldo Azevedo e Andrea Neves, onde o jornalista disse que uma matéria publicada na Veja criticando Aécio teria sido "nojenta". Bastou a notícia vazar para que, obviamente, Reinaldo pedisse demissão da revista, que logicamente, foi aceita. Ele também pediu demissão da Rádio Jovem Pan, onde também trabalhava. A imprensa brasileira tem prestado serviços essenciais à nossa democracia, seja no papel de noticiar, bem como no papel de investigar. Mas existem alguns profissionais que se prestam ao papel de verdadeiros "lacaios", como se estivessem movidos por uma passionalidade prejudicial, ou na pior das hipóteses, usando o papel de formadores de opiniões patrocinadas. E assim como as máscaras de alguns políticos caem, a de alguns jornalistas também desabam. Com Reinaldo, não foi diferente...

* O Eldoradense
  

21 de mai de 2017

Vídeo musical de hoje: "Juvenília", com a banda RPM!


"Juvenília" - RPM

Sinto um imenso vazio e o Brasil
Que herda o costume servil
Não serviu para mim
Juventude
Aventura e medo
Desde cedo
Encerrado em grades de aço

E um pedaço do meu coração é teu
Destroçado com as mãos
Pelas mãos de Deus
E as imagens
Transmissões divinas 
E o cinismo
E o protestantismo europeu

Parte o primeiro avião
E eu não vou voltar
E quem vem para ficar
Para cuidar de ti
Terra linda
Sofre ainda a vinda de piratas
Mercenários sem direção

E eu até sei quem são
Sim eu sei
Você sempre faz confusão, diz que não
E vem, vem chorando
Vem pedir desculpas
Vem sangrando
Dividir a culpa entre nós



20 de mai de 2017

Alfinetada: "Placar da rodada"




   "Que me perdoem o Demolidor e o Punho de Ferro, mas de três dias para cá, o Placar da Rodada referente à minha audiência televisiva registrou: Jornal Nacional 10 x 0 Netflix..."

* O Eldoradense

19 de mai de 2017

Fotografia: "Simplicidade e sofisticação"





  "Se alguém lhe disser que simplicidade e sofisticação não podem andar de mãos dadas, experimente um dia beber caldo de cana em uma taça e comprove o contrário..."

* O Eldoradense



Poema: "Homem-raposa"


"Homem-raposa"

O Michel não teve noção,
De tão ingênuo que foi;
Protagonizou a delação,
Do dono da Friboi!

Justo o homem-raposa,
Que se julga experiente;
Sedutor da jovem esposa,
Algoz da ex-presidente...

Vitimado por uma gravação,
Áudio bomba, petardo...
A propina em ação,
Para calar o Eduardo!

Nem esquentou a cadeira,
Já se encontra vulnerável;
Até parece brincadeira,
Algo inacreditável!

                                                             Se fosse no meu caso,
Após grave denúncia;
Nem esperaria o prazo...
 Optava pela renúncia!

                         * O Eldoradense                                         

18 de mai de 2017

Alfinetada: "Safadões"

"Há uma semana, causou bastante alarde o anúncio do show de Wesley Safadão, na FAIVE, em Presidente Venceslau...



E agora, lá em Brasília, só se fala nos áudios da delação premiada de...


Joesley Safadão!

"Tô corrompendo todo mundo!
É presidente, governador, é prefeito...
noventa e nove por cento é vagabundo, ô ô!"

* O Eldoradense