16 de ago de 2018

Alfinetada: A notícia é triste. Mas a piada com a pindaíba da editora Abril é tão óbvia quando inevitável!





   "Veja" só que triste notícia: Uma das mais importantes editoras do país está pedindo recuperação judicial. Trata-se da "Abril", cujas dívidas somam R$ 1,6 bilhões, e que  demitiu 800 funcionários. A crise econômica do Brasil certamente é o pivô deste fato. Lastimo, pois li muitos quadrinhos da editora, além de ser admirador da Revista Veja, mesmo discordando muitas vezes do seu conteúdo. Porém, como este é um blog de humor, a alfinetada é tão óbvia quando inevitável...

    Será que a "Abril" vai "fechar"??? Tomara que não!!!


* O Eldoradense

15 de ago de 2018

Alfinetada: "Quando a vaidade extrapola"...




   Não tenho nada contra a vaidade, acho que na dosagem certa, ela é bem vinda. O problema é quando o comportamento extrapola e as pessoas passam a assumir riscos que podem comprometer a própria saúde e a integridade física. Aí já é obsessão, falta de bom senso. Pagar por uma cirurgia plástica realizada por aventureiros, com material inapropriado, por exemplo, é uma estupidez! Não é melhor investir esta grana em algo mais seguro, tipo... aplicar na poupança, por exemplo!?

* O Eldoradense

14 de ago de 2018

Livro: "O cortiço", de Aluísio Azevedo




  Mais uma leitura concluída. Digo, acho que nem seja este o termo correto, pois este livro eu "devorei", tamanho o interesse que ele me despertou ao longo das suas páginas envolventes. Trata-se do clássico literário brasileiro "O cortiço", escrito por Aluisio Azevedo, publicado pela primeira vez em 1890, no Rio de Janeiro. 

   A obra descreve um ambiente comum da cidade carioca na sétima década do século XIX: as estalagens ou cortiços, que certamente são precursores das atuais favelas. Os personagens são dotados de algumas virtudes e muitos defeitos, muito provavelmente fruto do ambiente insalubre e hostil ao qual vivem, segundo o autor, que é adepto da escola literária Realismo/Naturalismo. Possui rica descrição e crítica sociais, enaltecendo diferenças comportamentais entre as distintas camadas da sociedade, porém, igualando-os em certas circunstâncias, como nos desvios de conduta moral, muitas vezes motivados pela ambição e necessidade de sobrevivência. As paixões, os adultérios e os seus desfechos  dramáticos são presentes nas subtramas, além da prosperidade alcançada a todo custo pelo sovina e ardiloso João Romão, (dono do cortiço); aguçam a leitura, prendendo vorazmente quem folheia as páginas. Tanto é, que envolto pela história, acabei assistindo através do Youtube, um filme muito antigo baseado na obra. Creio que um "remake" cinematográfico seria muito bem vindo, e certamente, faria sucesso. Gostei demais!!!

* O Eldoradense

13 de ago de 2018

Comentário: "Pérolas infantis"


"Pérolas infantis"

  Quando em processo de alfabetização e assimilação das informações com relação ao significado das palavras, as crianças se envolvem em pequenas confusões, que proporcionam algumas "pérolas", que, obviamente, são motivos de boas risadas dos adultos. Vou citar abaixo, quatro delas, só para exemplificar o que digo:

    1) Isabella, sobrinha da minha esposa, e por consequência, minha sobrinha. Na ocasião, ela tinha 7 anos: 

    Estávamos tomando café da tarde em casa, e eu pedi o bule de mate para a minha esposa. A Isabella, surpresa com uso da palavra naquele contexto, perguntou:

     - Bule?

    - Sim, bule! Você não sabe o que é bule?

    - Sei, ué! Bule é quando uma criança chega na outra e diz: "Ô sua gorda, ô sua feia!"

       * Notem que ela confundiu a palavra "bule" com "bullyng", que tem relação com as ofensas gratuitas contra uma pessoa por seu comportamento, características físicas ou outros motivos.

    2) Leonardo, filho do meu amigo Marcos. Na ocasião, ele tinha 7 anos:

     Disse o Marcos que estava passeando de carro, com a família, quando passou em frente a uma grande loja de rações e produtos agropecuários. O filho, Leonardo, vendo os dizeres comerciais na parede do estabelecimento, perguntou:

        - Aqui só vende ração para aqueles cavalos de corrida?

        - Não, é para qualquer tipo de cavalo! - respondeu o pai.

       - Olha, mas está escrito... "pros treinados"...

       * Observem que ocorreu aí, um lapso de leitura, e consequentemente, do significado da palavra, que na verdade, era "proteinados", tipo de ração com alto teor de proteínas.


     3) Maria Clara, filha do meu irmão, Nélio.  Minha sobrinha, para simplificar! Idade, 6 anos:

      Mais um passeio de carro, desta vez, meu irmão, com a família dele. Passando em frente a uma loja que presta assistência técnica à várias marcas de aparelhos celulares, a Maria Clara disse:

       Olha pai, aqui eles mexem com a mesma "raça" do meu celular!

        * Houve aí uma confusão entre os conceitos de "marca" e "raça", que obviamente, provocou muitas risadas.


       4) Esta última aconteceu faz tempo, e foi comigo, quando  tinha sete anos, no longínquo ano de 1984:

           Terminal Rodoviário de Presidente Prudente. Havíamos acabado de chegar na área de embarque: Eu, minha mãe e meu irmão, para tomar o ônibus com destino a Presidente Venceslau. Vendo os vários estacionamentos de embarque numerados, perguntei para minha mãe...

        Mãe, em qual "raia" a gente vai embarcar??

       * Naquele ano, acontecia as Olimpíadas de Los Angeles, nos Estados Unidos. Vendo as plataformas numeradas na rodoviária, fiz uma associação rápida e equivocada com as "raias" utilizadas para a realização de provas dos velocistas e nadadores. Minha mãe deu muita risada, e depois me explicou que, nos terminais rodoviários, aquilo se chamava, na verdade, "plataforma"...


* O Eldoradense      

12 de ago de 2018

Performance humorística de Fabiano Cambota: "Pai"

  Há tempos eu queria exibir esta performance humorística de Fabiano Cambota no blog, mas achei adequado postá-la hoje, no "Dia dos Pais". É claro que tudo o que será dito abaixo é dotado de ficção e exagero, com o único intuito de fazer humor. De qualquer forma, fica o abraço a todos os leitores e amigos que fazem da difícil missão de ser pai, um grande legado. Assistam, riam, e sintam-se homenageados!


* O Eldoradense

Vídeo musical especial para o Dia dos Pais: "O mundo é bão, Sebastião!" com Nando Reis & Dois Reis


"O mundo é bão, Sebastião!" - Nando Reis & 2 Reis

Por que o Sol saiu
Por que seu dente caiu
Por que essa flor se abriu
Por que iremos viajar no verão
Por que aqui o mundo não será cão

Quando o Godzilla atacar
Quando essa febre baixar
Quando o mamute voltar
Descongelado, a caminhar na Sibéria
Quando invento, o mundo é feito de ideias

O mundo é bão, Sebastião
O mundo é bão, Sebastião
O mundo é bão, Sebastião
O mundo é teu, Sebastião
Ã, ão!

Como escrever certo o seu nome
Como comer se der fome
Como sonhar pra quem dorme

E deixa o cansaço acalmar lá em casa
Como soltar o mundo inteiro com asas

Tiranossauro Rex tião
E dentro dos seus olhos virão
Monstros imaginários ou não

Tão forte somos todos os Infernais
E agora eu vivo em paz...

O mundo é bão, Sebastião
O mundo é bão, Sebastião
O mundo é bão, Sebastião
O mundo é teu, Sebastião


Obs: Nando Reis compôs esta música em homenagem ao filho, Sebastião, que quando tinha seis anos, era "mau humorado". No vídeo acima, o compositor canta a canção ao lado do filhos Theodoro e Sebastião. 

* O Eldoradense

11 de ago de 2018

Fotografia: "Crepúsculo de uma tarde de inverno"

   Ontem foi um dia gelado. Talvez muitos já estejam pedindo a aparição do Sol, lamentando a introspecção causada pelos dias invernais. Creio que cada estação manifesta sua beleza, com suas características peculiares. O horizonte do último crepúsculo deu um espetáculo à parte, exibindo diferentes tonalidades de cores solitárias e melancólicas....


* O Eldoradense