22 de jan de 2017

Vídeo musical de hoje: Feira de Mangaio, com Clara Nunes & Sivuca!


Clara Nunes & Sivuca - Feira de Mangaio

Fumo de rolo arreio de cangalha
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Bolo de milho broa e cocada
Eu tenho pra vender, quem quer comprar

Pé de moleque, alecrim, canela
Moleque sai daqui me deixa trabalhar
E Zé saiu correndo pra feira de pássaros
E foi passo-voando pra todo lugar

Tinha uma vendinha no canto da rua
Onde o mangaieiro ia se animar
Tomar uma bicada com lambu assado
E olhar pra Maria do Joá 

Cabresto de cavalo e rabichola
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Farinha rapadura e graviola
Eu tenho pra vender, quem quer comprar

Pavio de cadeeiro panela de barro
Menino vou me embora
Tenho que voltar
Xaxar o meu roçado
Que nem boi de carro
Alpargata de arrasto não quer me levar

Porque tem um Sanfoneiro no canto da rua
Fazendo floreio pra gente dançar
Tem Zefa de purcina fazendo renda
E o ronco do fole sem parar

Eiii forró da mulestia..

Fumo de rolo arreio de cangalha
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Bolo de milho broa e cocada
Eu tenho pra vender, quem quer comprar
Pé de moleque, alecrim, canela

Moleque sai daqui me deixa trabalhar
E Zé saiu correndo pra feira de pássaros
E foi passo-voando pra todo lugar

Tinha uma vendinha no canto da rua
Onde o mangaieiro ia se animar
Tomar uma bicada com lambu assado
E olhar pra Maria do Joá

Mais é que tem um Sanfoneiro no canto da rua
Fazendo floreio pra gente dançar
Tem Zefa de purcina fazendo renda
E o ronco do fole sem parar

Eitaa Sanfoneiro da gota serena...

21 de jan de 2017

Acróstico: "Meia Idade"



                     Versão Pessimista:

Mais
           Experiência
                Inegavelmente
            Acumulada:

           Interessante
       Desculpa
       Afagando
          Decadência
      Explícita

IIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIIII

                Versão otimista:

  Menos
Erros
   Infantis
            Acontecendo:

  Incrível
 Dádiva
      Alcançada
        Diminuindo
      Equívocos


                     * O Eldoradense                    

20 de jan de 2017

Alfinetada: Slighty Stoopid



   É como diz o ditado: "Vou morrer e não vou ver tudo". Acabei de ver na página ilustrada da Folha de São Paulo que a Banda americana Slighty Stoopid lançou um disco que não é feito de vinil, mas sim com haxixe. Portanto, após a audição do disco, o ouvinte poderá "fumá-lo", se assim preferir. A confecção do álbum não saiu barato: Foram dois protótipos orçados em US$ 6 mil cada, e a "prensagem" do material mais US$ 1 mil. Vale lembrar que o primeiro protótipo foi fumado pela banda, e o segundo, produziu um som com péssima qualidade. O empresário do grupo disse que a produção da obra teve como intuito apoiar a legalização da maconha, e que o dinheiro arrecadado com a mesma, será doado para instituições de caridade. Porém, não é exagero da crítica dizer que o disco é uma verdadeira droga!

* O Eldoradense

17 de jan de 2017

Acróstico: Viagem



Vagar
            Itinerante,
                Admirando
                Gentes,
                       Estradas,
                           Mares...

15 de jan de 2017

Vídeo musical de hoje: "Mesmo que seja eu" - Erasmo Carlos


"Mesmo que seja eu" - Erasmo Carlos

Sei que você fez os seus castelos
E sonhou ser salva do dragão
Desilusão meu bem 
Quando acordou estava sem ninguém, xi..., xi, sem
ninguém! Sei!

Sozinha no silêncio do seu quarto
Procura a espada do seu salvador
E no sonho se desespera
Jamais vai poder livrar você da fera...

Da solidão!

Com a força do meu canto
Esquento o seu quarto prá secar seu pranto
Aumenta o rádio me dê a mão
filosofia, poesia é o que dizia minha avó
Antes mal acompanhada do que só

Você precisa de um homem pra chamar de seu
Mesmo que esse homem seja eu
Um homem pra chamar de seu

14 de jan de 2017

Poema: "Caiuá/Guarani"




  Acabei de ler no Blog do Toninho Moré que empresas e equipes de estudiosos estão analisando o subsolo do Pontal do Paranapanema com o intuito de encontrar xisto gasoso, um mineral oriundo de rochas porosas sedimentares explorado como fonte energética, o que supostamente poderia trazer riquezas para a nossa região. O problema é que o processo de extração deste gás tem como possível consequência a contaminação dos lençóis freáticos e dos aquíferos, o que é altamente preocupante, pois sem xisto, nós sobrevivemos, mas sem água, não dá! Baseado nesta notícia, fiz o poema intitulado "Caiuá/Guarani", com uma temática crítica ambiental. Eis os versos:


"Caiuá/Guarani"

Em um passado não distante,
Há algum tempo atrás;
O ímpeto bandeirante,
Dizimou os Caiuás…

No Velho Oeste adentraram,
Grandiosa expedição;
Mataram, desmataram,
Em nome da civilização!

Pouco restou do cerrado,
Quiçá da Mata Atlântica;
Tudo foi devastado…
História nada romântica!

Mas restou uma riqueza,
Não é um campo petrolífero;
Lençol vivo na profundeza,
Um precioso aquífero…

Que por coincidência,
É chamado Guarani;
Em merecida reverência…
Ao povo Tupi…

Mas há novos Bandeirantes,
Rondando o Pontal;
E assim como antes,
Buscam o vil metal…

Em porosas rochas,
Talvez encontrem xisto;
As pessoas, curiosas:
“Mas o que seria isto?”

Sonhando com a bonança,
Uma pergunta, ninguém faz…
Questiono, como criança:
Beberemos água com gás?

* O Eldoradense

  

11 de jan de 2017

Alfinetada: Rússia espionando Trump...




   Vazou a notícia de que os russos, através do serviço secreto de espionagem, teriam em mãos vídeos de  Donald Trump participando de orgias com prostitutas de Moscou e São Petesburgo, no ano de 2013. Fico imaginando a resposta "sutil" que Trump poderia dar ao episódio:

 "Constrangedor nada! Seria constrangedor se eu tivesse participado de uma orgia com go go boys em São Francisco..."

* O Eldoradense