30 de mar de 2015

Piada de segunda: "Na biblioteca"


"Na biblioteca"

   O homem chega na biblioteca e aborda a bibliotecária:

   "Por favor, você me ajuda e encontrar um título?"

    "Sim, qual seria, senhor?"

    "Homens: O sexo forte!"
     
     "Ok! Os livros de ficção científica estão no segundo armário, à direita!"  

29 de mar de 2015

Vídeo musical de hoje: "Canção da meia-noite", com Kleiton e Kledir!


"Canção da meia noite" - Kleiton e Kledir

Quando a meia-noite me encontrar
Junto a você
Algo diferente vou sentir
Vou precisar me esconder
Na sombra da lua cheia
Este medo de ser...


Um vampiro, um lobisomem, um saci-pererê
Um vampiro, um lobisomem, um saci-pererê

Dona senhora, meia-noite eu canto
Essa canção anormal

Dona senhora, nesta lua cheia
Meu corpo treme, o que será de mim?

Que faço força pra resistir a toda essa tentação
Na sombra da lua cheia, esse medo de ser
Um vampiro, um lobisomem, um saci-pererê...


28 de mar de 2015

A "Gruta que chora", na Praia da Sununga, em Ubatuba: Versão científica x Versões caiçaras...

A "Gruta que chora", na Praia da Sununga, é carregada de lendas e mistérios nutridos pela população caiçara

  Já havia citado anteriormente o número de praias existentes em Ubatuba, litoral norte de São Paulo. Em uma delas, na Praia da Sununga, existe um diferencial paisagístico que chama a atenção: a "Gruta que chora". Na versão científica dos geólogos, ela é uma formação rochosa vulcânica porosa parecida com um funil, cujo vão maior está voltado para o mar. A vibração acústica proveniente da força das ondas faz com que água doce se precipite da gruta através da porosidade das rochas, e sobre a gruta, obviamente, existe uma nascente. A intensidade da precipitação de água doce da gruta é então diretamente proporcional à intensidade das ondas do mar: quanto mais ondas fortes, mais a gruta "chora". Agora, se o leitor é um romântico, amante por versões lendárias, eis aqui uma das inúmeras versões contadas pela população nativa: o texto foi extraído do blog coisas de caiçara, de José Ronaldo, caiçara de Ubatuba...

  “Marcelina, uma caiçara adolescente que morava nas cercanias da Praia da Sununga, de repente pareceu aniquilar-se, comendo pouco, sem ânimo para nada. De nada valiam os banhos, benzimentos e remédios da cultura local. Diante da preocupação da mãe e de outras pessoas que gostavam muito dela, ela tentava acalmá-las.

   Dias se passaram, tristes e apreensivos, até que certa madrugada, de seu quarto a mãe escutou soluços e palavras desconexas. ‘Não vá. Não...não quero...espere...’ Ao acordar em lágrimas e vendo a mãe sentada em sua cama, Marcelina se abriu: ‘Sabe a história daquele bicho que mora na Toca da Sununga, que diz que ninguém pode passar por lá sem provocar a sua ira, deixando o mar revolto e impedindo o trabalho dos pescadores? Pois é! O Seo Antero, lá da Praia das Sete Fontes, disse-me que viu, numa noite o tal bicho: do meio pra cima parece o dragão que tem no quadro de São Jorge, o resto do corpo parece de uma cobra. Foi milagre ele não ter sido devorado naquela noite. De lá pra cá eu tenho sempre a impressão que esse bicho me segue. Numa noite, há alguns meses, aconteceu uma coisa bem estranha: o bicho, do jeito que o Seo Antero descreveu, entrou no meu quarto. Eu queria chamar a senhora, mas não consegui soltar a fala, nem correr. De repente... aquela coisa feia se transformou num moço bonito e ficou comigo até o galo cantar três vezes na madrugada. Dessa noite em diante ele tem vindo ficar comigo. Agora mesmo eu estava chorando porque não queria que ele fosse embora. É por isso que eu não tenho vontade de mais nada, a não ser ficar pensando nele’.

  Depois de algum tempo dessa revelação, passando por sua casa um velho monge, a mãe contara os tormentos da filha e de todos os familiares. Era comum naquele tempo desabafar com alguém da Igreja e se sentir aliviado. Na verdade, aquele homem era um padre que revelou: 'o padre José de Anchieta, antes de morrer, teve uma visão que dizia ser tarefa da Ordem dos Jesuítas expulsar o monstro que se abrigava na Toca da Sununga. É por isso que aqui cheguei. Vim nos passos de Anchieta'.
      
  Chegando ao local, o monge, acompanhado dos fiéis católicos do lugar, ergueu os braços num largo sinal da cruz, murmurou sua prece e aspergiu sobre o local a água benta que trazia. Naquele instante, tal como um trovão violento, a água do mar invadiu a toca e abriu um caminho por onde o monstro se foi, num turbilhão de espuma, mar afora.  Desse modo, graças à fé desse religioso, os caiçaras se viram livre daquela maldição”
  

27 de mar de 2015

26 de mar de 2015

Paraty: cidade charmosíssima!




  Praias, centro histórico em estilo colonial e várias igrejas construídas na época do Brasil Império sob forte influência do catolicismo português: Esta é Paraty, cidade do litoral sul fluminense que visitei e que achei o máximo! Quem sabe eu ainda volto lá, para participar da Festa literária com um livro de minha autoria? Sonhar não custa nada...

* O Eldoradense



24 de mar de 2015

Uma semana sem navegar na internet para navegar no mar de Ubatuba...


  Amigos leitores, as publicações da última semana foram todas automáticas, pois eu estava no litoral norte de São Paulo, mais precisamente em Ubatuba. Lugar lindo, com várias praias e algumas cachoeiras deslumbrantes. Passei também por Paraty (RJ), cidade que possui um aspecto colonial marcante em sua arquitetura e nas ruas calçadas de pedras no seu centro histórico . Na foto acima, eu e a Srª Eldoradense estávamos no "Barquário", uma embarcação com fundo de vidro que facilitava a visualização do fundo do oceano e da fauna marítima. Logicamente eu estava no leme, pois a direção deve pertencer sempre ao "comandante". Já em casa, a coisa não funciona bem assim...

* O Eldoradense



23 de mar de 2015

Piada de segunda: "Fio de cabelo"


"Fio de cabelo"

  
  O homem chega de viagem, e a mulher desconfiada já chega abordando:

   "O que significa este fio de cabelo loiro no teu paletó!?"

    Ele, num lampejo de brilhante improviso, responde:

   "Significa que você não manda lavar meu terno desde a época que oxigenava os cabelos!"

22 de mar de 2015

Vídeo musical de hoje: "Sem limites pra sonhar", com Victor & Léo. Participação de Lucyana!


"Sem limites pra sonhar"- Victor & Léo, participação de Lucyana

Há uma chance da gente se encontrar
Oh! Há!
Há uma ponte pra nós dois em algum lugar
Ah! Ah!
Quando homem e mulher
Se tocam num olhar
Não há força que os separe

Há uma porta que um de nós vai ter que abrir
Oh! Há!
Há um beijo que ninguém vai impedir
Não vai!
Quando homem e mulher
Se deixam levar
E fácil viver mais

Há uma estação
Onde o trem tem que parar
Tô na contramão
Te esperando pra voltar
Pra poder seguir
Sem limites pra sonhar
Pois é só assim
Que se pode encontrar o amor

There's a story which is waiting for the heart to write
I'm going crazy here, just wanting you to close up the night
When the love in a woman finds the love in a man
There's nothing to precious to hold it

The door is open for the time when your heart returns
In the silence of a kiss we will burn our heart
When the heat in a woman finds the heat in a man
The flame burns forever

There'll come a time, my love when the searching has to end
I'm on the wrong-way street I need more than just a friend
And I’m standing here, just trying to touch the stars
Nothing else to lose when you're reaching for the infinite heart...

We reach across the empty space
Space that you and I can cross
When the love of a woman
Finds the love of a man

There’ll come a time

16 de mar de 2015

Piada de segunda: "Comendo caranguejo"


"Comendo caranguejo"

  O sujeito está em um quiosque à beira da praia, e pede um caranguejo ao garçom. Quando chega o prato, nota que a iguaria está "mutilada", e diz:

   "Garçom! Está faltando uma pata neste caranguejo!"

    O astuto garçom, então responde:

   "Amigo, é que lá no fundo do mar, muitas vezes dois caranguejos machos brigam por uma fêmea, e aí, acontece isso..."

    Mais astuto ainda, o cliente rebate:

   "Ah é!? Então volte lá na cozinha e me trague o que ganhou a briga!" 

15 de mar de 2015

Clipe de hoje: "Zoio de lula", com o Charlie Brow Jr!


"Zoio de lula" - Charlie Brow Jr.

Tirou a roupa, entrou no mar
Pensei: Meu Deus
Que bom que fosse
Tu me apresenta essa mulher
Meu irmão, te dava até um doce
Sem roupa ela é demais
Também por isso
Eu creio em Deus
Meu bom, Meu Deus
Meu bom, me traz

Ainda bem que eu trouxe
Até meu guarda-sol
Tenho toda tarde
Tenho a vida inteira
Já se foi aquele tempo
Da ladeira, irmão
Já que se foi aquele tempo
Da ladeira, irmão

Meu escritório é na praia
Eu tô sempre na área
Mas eu não sou
Da tua láia, não!
Meu escritório é na praia
Eu tô sempre na área
Mas eu não sou
Daquela láia, não!

Então
Deixe viver, deixe ficar
Deixe estar como está
Deixe viver, deixe ficar
Deixe estar como está

Meu Deus me dê um motivo
Pois eu pago tanto mico
Ela me ignora
Na esperança eu ainda fico
Eu tô fritando aqui
Vou entregar, não aguento mais
Mas se eu não falar hoje
Talvez nunca a veja mais

O dia passa
Horas se estendem
As pessoas ao redor
Nunca me entendem

O dia passa
Horas se estendem
As pessoas ao redor
Nunca me entendem

Então!
Deixe viver, deixe ficar
Deixe estar como está
Deixe viver, deixe ficar
Deixe estar como está

Deixe viver, deixe ficar
Deixe estar como está
Deixe viver, deixe ficar
Deixe estar como está...


14 de mar de 2015

Comentário: "Democracia"


"Democracia"


  Amanhã provavelmente grande parte da população brasileira irá às ruas manifestar-se contra a corrupção, a inflação e a precariedade dos serviços públicos. Entendo que qualquer manifestação democrática é válida, desde que os direitos do próximo sejam preservados. É preciso deixar claro que protesto não precisa ser sinônimo de vandalismo, violência e discórdia. Este é um estado democrático, e os direitos de uns acabam onde iniciam-se os dos outros. Portanto, nosso povo precisa ter lucidez e equilíbrio durante as reivindicações, exatamente para que não se perca a razão. Que as vozes das ruas sejam ouvidas, e que os políticos insensatos ao menos se intimidem, já que é difícil acreditar que eles se sensibilizem.

   A cidadania e a liberdade são os legados mais importantes do estado democrático. Vandalismo, violência e truculência são excessos que estão mais próximos ao totalitarismo e às ditaduras. Que tenhamos a sabedoria de agir com prudência e inteligência, para que os opressores políticos não invertam os papéis, transformando-se em vítimas, quando na verdade, são cruéis algozes.


* O Eldoradense 

   

9 de mar de 2015

Piada de segunda: "O carro do sogro"



"O carro do sogro"

  O sujeito vai ao motel com a amante e percebe o carro do sogro no estacionamento de uma das suítes. Com o intuito de sacanear o velho, o genro murcha os pneus do veículo e risca totalmente a lataria. No dia seguinte, percebendo o aborrecimento do homem, ele pergunta:

   "Ora, meu sogro! Parece aborrecido, o que aconteceu?"

   "E não era para eu estar aborrecido!? Emprestei o carro para a descuidada da tua mulher ir à igreja, ela deve ter estacionado em qualquer canto, e os trombadinhas riscaram toda a lataria!"

8 de mar de 2015

Vídeo musical de hoje: "Mulher" (Sexo frágil), com Erasmo Carlos!


"Mulher" (Sexo frágil) - Erasmo Carlos

Dizem que a mulher é o sexo frágil
Mas que mentira absurda!
Eu que faço parte da rotina de uma delas
Sei que a força está com elas

Vejam como é forte a que eu conheço
Sua sapiência não tem preço
Satisfaz meu ego, se fingindo submissa
Mas no fundo me enfeitiça

Quando eu chego em casa à noitinha
Quero uma mulher só minha
Mas pra quem deu luz não tem mais jeito
Porque um filho quer seu peito

O outro já reclama a sua mão
E o outro quer o amor que ela tiver
Quatro homens dependentes e carentes
Da força da mulher

Mulher! Mulher!
Do barro de que você foi gerada
Me veio inspiração
Pra decantar você nessa canção

Mulher! Mulher!
Na escola em que você foi ensinada
Jamais tirei um 10
Sou forte, mas não chego aos seus pés

2 de mar de 2015

Piada de segunda: "Papagaio de mudança"


"Papagaio de mudança"

  A mudança foi toda colocada no caminhão. Um desses de carroceria aberta, abarrotado de móveis, e lá em cima de tudo, a gaiola com o papagaio. A mudança devia estar mal-arrumada e as ruas eram muito esburacadas. Com o balanço, a gaiola caiu com o papagaio. Desceu todo mundo, acudiram o papagaio e botaram a gaiola la em cima. Em pouco tempo, o pobre coitado despenca outra vez. E outra vez. E mais outra! Mil tombos! Aí, o papagaio,já irritado, no último tombo virou-se para o dono e disse:


   "Faz o seguinte: Me passa aí o endereço que eu vou à pé!"

1 de mar de 2015

Vídeo musical internacional de hoje: What's up? com 4 Non Blondes!


E aí? - 4 Non Blondes

25 anos e minha vida está parada
Estou tentando subir essa grande montanha da esperança

Por um destino


Eu compreendi rapidamente quando soube que deveria

Que o mundo nunca foi essa fraternidade de homens

O que quer que isso signifique


E então eu choro às vezes

Quando estou deitada na cama Só para me livrar disso tudo

que está na minha cabeça

E estou me sentindo um pouquinho esquisita


E então eu acordo de manhã e saio

E respiro profundamente

E eu fico realmente bem

E eu grito do máximo dos meus pulmões

"O que está acontecendo? "


E eu digo: HEY!

E digo: "hei, o que está havendo? "


E eu digo: HEY!

E digo: "hei, o que está havendo? "


ooh, ooh ooh


E eu tento, oh meu Deus, eu tento

Eu tento todo o tempo nestas intituições


E eu oro oh meu Deus, eu oro

Eu oro todo dia

Por uma revolução


E então eu choro às vezes

quando estou deitada na cama

Só para me livrar disso tudo

que está na minha cabeça

E estou me sentindo um pouquinho esquisita


E então eu acordo de manhã e saio

E respiro profundamente

E eu fico realmente bem

E eu grito do máximo dos meus pulmões

"O que está acontecendo? "


E eu digo: HEY! hey, hey hey hey

E digo: "hei, o que está havendo? "


25 anos e minha vida está parada

Estou tentando subir essa grande montanha da esperança

Por um destino