1 de jul de 2017

Shopping no antigo frigorífico Kaiowa: Há possibilidade?

Instalações físicas da massa falida do antigo Frigorífico Kaiowa: imagens do site da ACIPREV


  Há poucos dias, foi noticiado no Blog do Toninho, a iniciativa do empresário Lauren César Lima e do arquiteto e urbanista Júlio Fernando Martins em formar um grupo gestor para tentar viabilizar a adequação das dependências do antigo Frigorífico Kaiowa em um grande centro de negócios, uma espécie de "Shopping Center".

  Tenho dito ultimamente que se a massa falida do antigo frigorífico fosse arrematada por alguma empresa do setor de carnes, seria ótimo, mas este é um sonho bastante improvável de se concretizar. A pecuária praticada em nossa região é extensiva, com baixa produtividade e maior degradação ambiental, e pesa contra esta possibilidade a menor carga tributária praticada em estados vizinhos, como o Mato Grosso do Sul, por exemplo.

   Portanto, o setor industrial em nossa cidade vem agonizando, mas entendo que o setor de prestação de serviços pode ser sim, a solução para a reativação daquele prédio. Sinceramente, não entendo nada de economia, planilhas, muito menos de administração. Isso é com os técnicos. Mas na minha opinião leiga, acho que é este o "caminho das pedras": inovar, ousar, e entender que o setor terciário, é hoje, a nossa "válvula de escape".

   Mediante tais possibilidades, e levando-se em consideração o "Feirão de automóveis" que ocorrerá em Presidente Venceslau, (também nas dependências do antigo frigorífico); e também organizado por Lauren César Lima, pensei: "Se a ideia do shopping não vingar, por que não transformar aquilo em um grande polo de prestação de serviços no setor automotivo?"

   Vejam bem: Se do boi tudo se aproveita, (como dizem muitas pessoas); o automóvel também tem uma gama de possibilidades no setor de prestação de serviços. Concessionárias, Garagens de semi-novos, oficinas mecânicas, funilaria e pintura, borracharia, tapeçaria, venda de peças/acessórios, instalação de som/alarme, vistoria e até mesmo seguradoras. E se fosse elaborado um projeto alternativo convidando empresários do setor a participar de uma espécie de "condomínio", onde todos poderiam adquirir cotas e firmar de vez, a tradição de nossa cidade em relação ao produto "carro" no contexto regional?

   Como eu disse, sou leigo em planilhas, cálculos, e não domino nada em matéria de administração. Mas acho que em meio à boa ideia de transformar a massa falida do antigo frigorífico em um Shopping, sugerir que ali se transforme em um grande centro automotivo também faz algum sentindo enquanto alternativa, enquanto sugestão. O que não podemos é testemunhar aquele patrimônio gigantesco se depreciando sem ao menos sonhar com quaisquer perspectivas. 

* O Eldoradense

Nenhum comentário:

Postar um comentário