23 de ago de 2016

Analisando o resultado final no quadro de medalhas da Rio-2016...



  Infelizmente acabaram os Jogos Olímpicos na cidade maravilhosa. Foi um espetáculo também maravilhoso, do início ao fim. Atletas competiram, confraternizaram, riram, choraram, e proporcionaram emoções indescritíveis ao público espectador, tanto nas arquibancadas quanto nos televisores, celulares, tablets e tantos outros meios de comunicação existentes atualmente. Em meio aos resultados concretos e finais do quadro de medalhas, algumas observações merecem destaque:

    1) Cinco países do G7 estão também entre as sete principais potências Olímpicas: O Grupo econômico denominado "G7" - que reúne as principais potências mundiais - possui 5 dos sete primeiros colocados no quadro de medalhas. As exceções são Itália e Canadá, que terminaram os jogos na 9ª e 20ª posições, respectivamente. Os países que compõem o "G7 Olímpico" e que não estão inseridos no "G7 das principais potências mundiais", são China e Rússia, que terminaram os jogos na 3ª e 4ª posições, respectivamente.

    2) Os Estados Unidos no lugar mais alto do pódio: Assim como aconteceu em 2012, nos jogos de Londres, o Tio Sam foi o primeiro colocado no quadro de medalhas, ratificando a condição de maior potência Olímpica, condição esta que não aconteceu em Pequim 2008, quando os chineses lideraram os jogos.

    3) No "Top 10" do quadro de medalhas, a Europa domina, com 5 países: Grã Bretanha (2ª), Rússia (4ª), Alemanha (5ª), França(7ª) e Itália(9ª) estão entre "os dez mais" no quadro de medalhas. As exceções são EUA (1ª), China (3ª), Japão (6ª), Coréia do Sul (8ª) e Austrália (10ª)

    4) O Brasil conseguiu seu melhor desempenho na história dos jogos: Sediando a competição, conseguimos a 13ª colocação, atingindo nosso melhor desempenho no número de medalhas, totalizando 19, sendo que sete ouros, seis pratas e seis bronzes.

     5)  As melhores posições no quadro por continentes:

          América: Estados Unidos, (1ª)

          Ásia: Japão, (6ª)

          Europa: Grã-Bretanha, (2ª)

          África: Quênia, (15ª)

          Oceania: Austrália, (10ª)


      6) Observações Curiosas: 

      a) Com o declínio constante do regime comunista, Cuba (18ª) vem perdendo posições no quadro Olimpíada após Olimpíada, sendo que na região do Caribe foi superada pela Jamaica (16ª).

         b) Contrariando a relação direta entre economia e esporte, a Venezuela, que vive um caos financeiro, social e político, terminou os jogos na 65ª posição, enquanto o próspero Chile não conseguiu sequer uma medalha.

     c) A fechada e pobre Coréia do Norte terminou na 34ª colocação, na frente de países como Bélgica (35ª), México (61ª), e Portugal, (78ª), por exemplo.

     d) Se o brasileiro Isaquias Queiroz fosse um país, teria terminado os jogos na 62ª colocação.

     e) Das 207 delegações participantes dos jogos, apenas 87 conseguiram ao menos uma medalha.

         f) O grupo dos "sem medalha" possui nações como Chile, Uruguai e Arábia Saudita, por exemplo. O Paraguai também faz parte do clã, mas com certeza eles darão um jeito de resolver o problema...

* O Eldoradense

    

2 comentários:

  1. Anônimo19:00

    Maldade com o Paraguai...

    ResponderExcluir
  2. Já estou orfã de Olimpíadas, rsrsrs Foi muito bom, eu gostei da atuação do Brasil, em Tóquio vamos ficar entre os 10 primeiros, eu acredito!!!
    Abnraços!!!

    ResponderExcluir