4 de ago de 2015

E agora, José?


Zé Dirceu, ex-ministro da Casa Civil durante o governo Lula

"E agora, José?"


   A décima sétima fase da Operação Lava-Jato fez uma prisão importantíssima nesta segunda-feira: foi para trás das grades ex-ministro chefe de Casa Civil do Governo Lula, José Dirceu. E junto com ele, mais outros sete surrupiadores do dinheiro público. Há quem enxergue as prisões com descrédito, alegando que no final, tudo isso "não dará em nada", e que logo estes sujeitos estarão soltos. Eu discordo. O Poder Judiciário, juntamente com a Polícia Federal, está agindo de forma independente, algo que não se via há uma, duas décadas atrás, quando a impunidade reinava no país. Vejam bem, estes méritos não são do partido que está no poder, mas sim, méritos exclusivos do Judiciário e da Polícia Federal. Qualquer discurso petista alegando suporte à justiça é balela. 

  Zé Dirceu já havia sido condenado pelo esquema do "mensalão", onde o dinheiro público oriundo dos Correios servia para formar uma base situacionista corrupta no Congresso Nacional. Porém, na ocasião, por ser réu primário, o ex-ministro conseguiu progressão de pena, cumprindo a sentença em domicílio, tendo o direito inclusive de trabalhar fora. Como "pau que nasce torto não endireita", o Zé continuou surrupiando dinheiro público através de outra estatal, ainda mais rentável, a Petrobrás. E a casa caiu novamente.

   Na primeira condenação de Zé Dirceu, os petistas mais fanáticos alegavam que o esquema do mensalão não teria existido, ou então, em um discurso ainda mais cínico, que o esquema visava apenas "Caixa 2", algo que outros partidos políticos também fazem, (o que é verdade). O problema é que os erros dos outros não podem servir para generalizar a corrupção. A imagem de Genoíno e Dirceu com os punhos cerrados durante a prisão do mensalão, agindo como se fossem "heróis de uma causa", foi tão dissimulada quanto patética e emblemática. Desta vez, nem dá para ser dissimulado: Dirceu, segundo as investigações da PF, ENRIQUECEU através de falsas consultorias. Ou seja: como foi condenado pela segunda vez, Zé Dirceu não terá direito à progressão de pena, e muito menos poderá utilizar-se de discursos oportunistas para escamotear sua imagem corrupta. 

  Os próximos desdobramentos das investigações da Operação Lava-Jato podem reservar surpresas. Não que estas surpresas apresentem algo que não saibamos, mas algo que duvidávamos que pudesse acontecer um dia: o desmascaramento definitivo de Lula.  Será que Dirceu contará tudo o que sabe? E agora, José???



* O Eldoradense

Um comentário:

  1. Pois é amigo... e agora José??? Será que ele abre a boca??? Ou vai ficar caladinho encobrindo o chefe da quadrilha??? cenas dos próximos capítulos, rsrsrs abraços!!!

    ResponderExcluir