23 de mar de 2017

"Sigla enfrente!"



"Sigla enfrente"

    Ele tirou o carro da garagem para se dirigir ao trabalho em mais uma manhã de trânsito intenso. Era um BMW prata, estiloso, que lembrava bastante o glamour do carro do avô, um DKV conservadíssimo, ainda pertencente ao patrimônio familiar. Ligou o rádio do veículo, no intuito de ficar a par das notícias do dia:
     "DIEESE calcula inflação de 7,5%"
     "IBGE confirma aumento na taxa de desemprego"
     "PETROBRAS não nega possibilidade no reajuste do preço dos combustíveis"
     "ANEEL pede aos consumidores que economizem energia para descartar apagão"
    ... E na Copa Nordeste, o ABC empatou em zero a zero com o CSA!

  - PQP!  Só notícia ruim! E quem lá quer saber do resultado do jogo do ABC com o CSA? - pensou. Resolveu desligar o rádio e inseriu um pen drive na entrada USB. Rapidamente escolheu a pasta de sua banda preferida, o RPM. Passou em uma loja de conveniência e comprou uma latinha de TNT para ter mais energia na difícil tarefa de encarar o dia. Dali onde estava até o banco HSBC, do qual era gerente, ainda restavam dez quilômetros, segundo a voz sensual da moça do GPS. No caminho, deu azar: Uma manifestação por justiça social, liderada por integrantes da CUT e do MTST.  Mais um pensamento raivoso: "Eita gente desocupada! Protestando em plena quarta-feira?"
   O pessoal da PM juntamente com a CET conseguiu normalizar o fluxo do trânsito e ele finalmente conseguiu prosseguir em direção ao trabalho. Chegando lá, ligou o PC sobre a escrivaninha e abriu sua caixa de e-mails. Havia uma correspondência eletrônica do setor de RH, que ele abriu imediatamente:
   "O banco HSBC agradece pelos serviços prestados ao longo destes dez anos, mas motivado por uma readequação no seu contingente de funcionários, lastima ter que abrir mão de sua eficácia e competência. Compareça hoje ao RH para assinar a demissão e verificar a soma dos direitos trabalhistas, inclusive do FGTS"
      Desmaiou em seguida, e os amigos, com medo de ele ter sofrido um AVC, ligaram para o SAMU. Mas não foi nada grave. No mês seguinte, ele estava engrossando as estatísticas de desemprego do IBGE e fazendo protestos na Marginal Tietê, juntamente com os integrantes da CUT e do MTST. Mas viu que aquilo não adiantaria muita coisa: Fez um curso no SEBRAE, vendeu o BMW e juntamente com a grana do FGTS, abriu uma franquia da CVC. E assim está tocando o barco, pagando IPVA, IPTU, PIS, COFINS e tantas outras siglas que fazem parte do nosso cotidiano.
   A vida está difícil? Está! Mas não adianta desanimar... Sigla enfrente!

* O Eldoradense

Nenhum comentário:

Postar um comentário