3 de mar de 2017

Poema: "Ribeirinho"


"Ribeirinho"

Ele acorda antes do sol,
Para mais uma jornada;
Isca, rede, anzol;
A tralha toda arrumada...

Toma o café matinal,
Faz a primeira oração;
O rio é seu quintal,
E a pesca, profissão!

Motor do bote ligado,
Rasgando águas turvas;
Se perdendo no traçado,
Desenhado pelas curvas...

Seguindo pelo leito,
Da bela estrada molhada;
Com a esperança no peito,
E a fartura aguardada...

O medo dos temporais,
Velhas histórias engraçadas;
Contadas na beira do cais,
Rendendo boas risadas!

Vai, ribeirinho...
Para onde quer que rume!
Trilha teu caminho...
Atrás de mais um cardume!

* O Eldoradense

Nenhum comentário:

Postar um comentário