20 de abr de 2017

Comentário: "Odebrecht & Oscorp"

"Oscorp", indústria fictícia do Universo Marvel que tem como principal acionista Norman Osborn




"Odebrecht", construtora brasileira que atua em vários segmentos, que teve como fundador Norberto Odebrecht




O famoso vilão do Universo Marvel conhecido como "Duende Verde"



   Viajar um pouco na maionese para atenuar o sofrimento do mundo real às vezes é necessário, pois encarar todo este mar de notícias ruins envolvendo a corrupção em nosso país não está nada fácil. Assistir ao telejornal ou ler as manchetes dos principais sites informativos da internet tem sido uma tarefa complicada, causadora de revoltas, indignação e em casos mais graves, náuseas.

  E é por isso que resolvi fazer esta postagem, que talvez só os amantes do Universo Marvel, através dos gibis e filmes do Homem-Aranha irão entender: Alguém já notou as semelhanças entre as "Indústrias Osborn" e a construtora brasileira "Odebrecht"?

   É sério, pode parecer maluquice, mas quando eu comecei a ter ideia da dimensão do poder da Odebrecht, veio em minha mente as "Indústrias Osborn", mais conhecida atualmente como "Oscorp". Ambas empresas, (uma no mundo fictício e outra no mundo real); possuem grande capital financeiro, atuando cada qual ao seu estilo, no submundo do crime.  

    A "Oscorp" teve como principal acionista "Norman Osborn", empresário inescrupuloso que assumiu em vários momentos o papel de filantropo, homenageado rotineiramente pela sociedade nova-iorquina, mas que na prática, foi o vilão Duende Verde, responsável por muitos crimes, negócios escusos e é claro, também responsável por infernizar a vida do "Homem-Aranha". No filme do super-herói aracnídeo, "Norman Osborn" foi morto acidentalmente em uma luta contra o "Homem-Aranha", mas reaparece no subconsciente do seu filho, "Harry Osborn".  Norman insistiu para para que o jovem desse continuidade ao legado do "Duende Verde", prosseguindo portanto, com a vilania e as atuações criminosas. Harry, depois de muitos conflitos internos, deu continuidade ao legado.

   Na nossa vida real, a construtora Odebrecht foi fundada por Norberto Odebrecht, empresário pernambucano falecido em 2014, mas que corrompia autoridades políticas brasileiras desde a década de 80, segundo as delações premiadas da Operação Lava-Jato. Com o falecimento do empresário, assumiu o controle da construtora o seu filho, Marcelo Odebrecht, que obviamente, deu continuidade às atividades ilícitas envolvendo a empresa e os nossos "digníssimos" políticos. Não seria exagero dizer que pai e filho encarnaram uma versão tupiniquim do "Duende Verde": O "Duende Verde-Amarelo"!

   Reparem que até as iniciais dos nomes das empresas (a letra O), bem como as iniciais dos seus fundadores, (Norberto Odebrecht e Normam Osborn) coincidem, por incrível que pareça!

   A diferença? A diferença é que no mundo fictício, o bem sempre vence o mal, e infelizmente, no mundo real, os vilões têm levado a melhor. Mas quem sabe o juiz Sérgio Moro não seja o nosso "Homem-Aranha?"

* O Eldoradense   


Nenhum comentário:

Postar um comentário