24 de mai de 2017

Reinaldo Azevedo: De ídolo de muitos ao pedido de demissão na Veja...




  Amigos leitores, a caricatura acima é do jornalista Reinaldo Azevedo, famoso pelos escritos nas colunas da Revista Veja e Folha de São Paulo. É muito provável que você o conheça, pois durante os governos petistas, Reinaldo ganhou notoriedade através das suas críticas contundentes à corrupção e à incompetência de Dilma e Lula. Até aí tudo bem, porque criticar Dilma e Lula mediante as lambanças ocorridas nos governos de ambos é tarefa fácil e justa, ainda que o referido jornalista parecia ser movido por uma paixão tucana em que só os candidatos do PSDB serviam à nossa tão sofrida República Brasileira. Mas vá lá, cada um pode ter suas paixões, convicções, ideologias, mesmo que se espere um mínimo de imparcialidade e profissionalismo de um jornalista.

    E mesmo que justas e merecidas fossem as críticas feitas por Reinaldo ao fenômeno conhecido por "Lulopetismo",  eu via no jornalista um sujeito excessivamente parcial, e que em muitos momentos, deixava transparecer uma imagem arrogante, como quem tudo soubesse, menosprezando opiniões contrárias às suas, usando inclusive termos ofensivos aos que dele discordassem. "Idiota", "acéfalo" e  "chucro"  eram só alguns dos exemplos de vocábulos usados por Reinaldo quando a argumentação não parecia ser tão convincente. Mas ok, cada um tem o seu "estilo", mesmo que questionável. E o jornalista aproveitou bastante os desdobramentos da Operação Lava Jato enquanto a mesma encurralava os políticos do PT. Tornou-se ainda mais ídolo, mais venerado, mesmo que muitos sequer não questionassem sua postura um tanto quanto "apaixonada", digamos assim.

   Mas aí a mais famosa Operação anti-corrupção da história Republicana do país começou a ganhar outros contornos: começaram a pipocar nomes tucanos nas delações dos esquemas ilícitos. Geraldo Alckmin, Aloysio Nunes e Aécio Neves não passaram batidos nas investigações. Reinaldo pouco ou nada falou a respeito.

    E aí, surpreendentemente, Michel Temer caiu numa "casinha de caboclo" armada pelo empresário Joesley Batista, como todo mundo mais ou menos informado já sabe. Aécio Neves foi pego em um áudio mais do que comprometedor, e sua imagem manchada tornou-se podre, sendo que até sua irmã, Andrea Neves foi presa. E o que fez o famoso jornalista? Escreveu artigos dizendo que Temer foi vítima de conspiração, e que a suspensão do mandato do Senador Aécio Neves era um "absurdo"! Foi aí que eu constatei: Reinaldo Azevedo é um cara articulado, de qualidade notória nos seus textos, mas infelizmente, destituído de bom senso. Argumentando em favor de Aécio e Temer, viajou pela área do direito, (que não domina); contestando decisões dos Procuradores Gerais da República e Ministros do STF. Patético!

    E para concluir toda esta história, a Procuradoria Geral da República divulgou áudios de conversas entre Reinaldo Azevedo e Andrea Neves, onde o jornalista disse que uma matéria publicada na Veja criticando Aécio teria sido "nojenta". Bastou a notícia vazar para que, obviamente, Reinaldo pedisse demissão da revista, que logicamente, foi aceita. Ele também pediu demissão da Rádio Jovem Pan, onde também trabalhava. A imprensa brasileira tem prestado serviços essenciais à nossa democracia, seja no papel de noticiar, bem como no papel de investigar. Mas existem alguns profissionais que se prestam ao papel de verdadeiros "lacaios", como se estivessem movidos por uma passionalidade prejudicial, ou na pior das hipóteses, usando o papel de formadores de opiniões patrocinadas. E assim como as máscaras de alguns políticos caem, a de alguns jornalistas também desabam. Com Reinaldo, não foi diferente...

* O Eldoradense
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário