15 de mar de 2016

Poema: "O Marumbi", de Arlindo de Castro!




   Em um monumento de Morretes, uma alusão ao poema "O Marumbi", escrito por Arlindo de Castro. Abaixo, a transcrição do mesmo:

"O Marumbi" - Arlindo de Castro

Morretes, quando dorme,o Marumbi,
para velar-lhe o sono à cabeceira,
soergue, à noite, a calva sobranceira,
e,ao Nhundiaquara plácido, sorri...

O Marumbi, senhores, é um altar!
Dir-se-ia, até que,entre um milhão de flores,
Deus, aí, toda noite, vem rezar,
tendo, por castiçal, o firmamento;
e, por velas, o brilho das estrelas;
por orquestra, o vento
e a voz misteriosa da floresta!

O Marumbi, senhores, é um altar!
O pétreo altar, ao qual eu me descubro,
e aonde vem Jesus, no mês de outubro,
o Sermão da Montanha recitar...

E vem seguido de José Morais,
de Rocha Pombo,de Silveira Neto,
de Lang, de Turim e de Aguilar!...

É que o Bom Deus, no dia da cidade,
Consigo os traz, para matar saudade!..


Nenhum comentário:

Postar um comentário