23 de fev de 2016

Poema: "Telejornal"



"Telejornal"

Assistir ao telejornal,
Está cada vez mais complicado;
Difícil não passar mal,
Não sentir-se enojado!

É metrópole inundada,
É o tal Eduardo Cunha;
É obra superfaturada,
É a Febre Chikungunya!

É a maldita corrupção,
É a economia perrengue;
É a fraca seleção,
É o mosquito da Dengue!

É o Neymar sonegando,
É roubalheira na CBF;
É a saúde capengando,
É a volta da CPMF!

É água parada e mato,
É o barbudo que nada sabia;
É a Operação Lava-Jato,
É a microcefalia!

É falcatrua na merenda,
É a Dilma que ainda fica;
É a defasagem na renda;
É o medo da Zika!

É a inflação,
É o desemprego;
É a bandidagem em ação,
É a falta de sossego!


Notícias que causam pavor,
Surrando-nos feito açoite;
E aí vem o apresentador...
Desejando Boa Noite!



* O Eldoradense


Um comentário:

  1. Sem contar que "a mosquita" pode nos atacar a noite, rsrsrs só rindo pra não chorar, abraços!!!

    ResponderExcluir